Tecnologia: o dia de uma agricultura 4.0

Tecnologia: o dia de uma agricultura 4.0

Por Werkey Team

Em

Há muito do que se orgulhar na agricultura brasileira.

O que muitos não sabem é que o Brasil é um dos países mais inovadores em tecnologia agrícola no mundo, com potencial para exportar suas descobertas. A tão falada agricultura 4.0, a Internet das Coisas (IoT), que prevê a conexão em tempo real dos dados coletados pelas tecnologias digitais promete uma revolução.

O desenvolvimento, bem como o contato com as novas tecnologias, sempre foram etapas cruciais para a evolução da humanidade e muitos já perceberam que implementar inovações tecnológicas no seu negócio é o melhor caminho para ganhar altas produtividades e fazer sucesso.

“A tecnologia agrícola desenvolvida no Brasil é geralmente mais robusta e resiliente do que a de muitos países desenvolvidos”, afirma o especialista de Estratégia de Inovação Tecnológica, Robótica e Automação e ex-diretor de Inovação para a América Latina da John Deere Alex Foessel.

O Brasil é o país que oferece a maior oportunidade para inovar, criar valor e alimentar o mundo, porém, a falta de pessoas capacitadas para o uso da tecnologia ainda é um limitador no potencial de ganhos em produtividade” comentou.

Agricultura 4.0, a chegada da Internet das Coisas (IoT) ao campo.

Se no passado o produtor rural usava da intuição e da experiência para tomar decisões, hoje ele tem à sua disposição inúmeros dados para ajudá-lo e, em algumas propriedades, a interconexão de dados já é uma realidade.

O futuro será marcado pelo Produtor 4.0, que terá todos os tipos de dispositivos digitais conectados a bases de dados, redes e à internet, para que “conversem” entre si ou possam ser acessados à distância.

Nesse futuro, o produtor vê no seu tablet, ainda durante o café da manhã, que quatro colheitadeiras autônomas já estão no campo enquanto, em outro talhão, a irrigação já se iniciou com base nos dados de umidade do solo e volume da chuva. Enquanto estuda com o filho, acompanha um painel com os indicadores de produtividade da lavoura e orienta a equipe que está on-line discutindo os próximos passos. A caminho da fazenda ouve um curso sobre engajamento de funcionários e pensa em como reduzir os acidentes nas operações. Ao andar pelo campo, escaneia uma folha de milho e verifica que o aplicativo está correto em recomendar a aplicação de herbicida em doses mínimas no talhão. No refeitório, assiste a um jogo de futebol com os funcionários e comenta sobre os novos cursos que está adquirindo para a capacitação da equipe.

À tarde, avista no céu um drone que verifica a evolução da lavoura e falhas no plantio e, em conversa com os técnicos agrícolas, decidem enviar equipes para replantio na mesma hora. Na sequência, analisa os gráficos de fertilidade do solo, fungos e pragas e aprova a recomendação de compra de insumos indicada pelo software de manejo do solo. De repente, um alerta salta à tela com a indicação de necessidade de manutenção preventiva em uma máquina. No final do dia, encontra novos funcionários no escritório finalizando um treinamento em software de manejo de solo.

Esta visão já acontece em algumas propriedades, mas será uma jornada até alcançar escala. Para isso, o produtor vai precisar que colaboradores, parceiros, fornecedores e consultores estejam familiarizados com a tecnologia para fazer dela um aliado útil.

Este é e será o grande desafio:

“O futuro é o resultado da colaboração homem-máquina, com ganhos para todos os lados. Ao trabalhar com mais conhecimento e segurança, as pessoas permitem que a tecnologia atinja todo o seu potencial, produzindo mais e contribuindo para multiplicar a produtividade no campo”, conclui Foessel.

Fundada em junho de 2020, a Werkey é uma empresa que surgiu da necessidade de uma solução que promova a convergência de ofertas de cursos presenciais e on-line de diferentes marcas e suas redes de concessionários, para capacitar em um só portal os clientes e usuários de suas soluções para o agronegócio e a construção pesada na América Latina.


Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados